quinta-feira, 27 de maio de 2010

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Favo de Papel - Passo a passo

Este é o famoso FAVO DE PAPEL que eu aprendi fazer com a minha mãe quando eu ainda era uma menina, pois ela fazia para presentear seus alunos e eu sempre gostei de ajudar a confeccionar.
Então vamos desvendar o "segredo" dessa peça que não tem nada de difícil

1 - Escolha o a figura que você quer confeccionar e prepare o molde pela metade, é importante que a figura seja simétrica, ou seja, tenha os dois lados iguaizinhos.

2 - Corte no papel de seda 60 peças se for abrir até a metade e 120 se quiser que a abertura seja de 360 graus.


3 - Pegue um papel cartão e risque linhas com altura de 2 em 2 cm, conforme mostra a figura


4 - Risque o molde no papel cartão para que você possa seguir o padrão na hora de colar.


5 - Passe cola no papel cartão apenas nas linhas pares ex. 2, 4, 6, 8, ...


6 - Cole a primeira folha de papel de seda e agora passe cola apenas nas linhas ímpares.


7 - Vá intercalando a colagem, uma vez nas linhas pares, outra nas ímpares, e se for necessário use as linhas do papel cartão como guia para riscar no papel de seda quando não der mais para ver as de baixo.

8 - Finalize com outra folha de papel cartão.

9 - Após secar, corte as sobras do papel cartão, abra, monte sua peça e agradeça os elogios!!!

10 - Se você gostou, deixe um comentário para mim. *Ü* Paula

sábado, 8 de maio de 2010

Kusudama - eu que fiz!!!

Kusudama

Do japonês Kusu (remédio) e Dama (bola), é um origami modular, antigamente usado no Japão para remédios ou ervas aromáticos que era postos dentro do Kusudama.
Além de elementos decorativos, os kusudama também são associados, no arquipélago, a eventos comemorativos, como o internacionalmente conhecido Tanabata Matsuri (Festival das Estrelas) – celebrado anualmente no mês de julho (no Brasil, comemora-se o festival no bairro da Liberdade) – além de inaugurações, formaturas, casamentos, etc.
Os kusudama de Tanabata também podem ser chamados de fukinagashi (flâmulas), preservando o formato similar dos originais chineses, enfeitados com flores e com tiras de papel (tanzaku) penduradas. A criação dos famosos kusudama do Tanabata Matsuri de Sendai, província de Miyagi (que também podem ser apreciados no Festival das Estrelas da Liberdade), é atribuída ao comerciante da cidade de Ichibanchô, Kengoro Mori, que, em 1946, se inspirou na beleza das dálias de seu jardim para confeccionar, em papel, enfeites tão vistosos, que acabaram sendo adotados para o Tanabata de sua região.
Quando utilizados para eventos comemorativos, os kusudama ganham o nome de waridama (wari = waru = partir, cortar), pois são “partidos” ao meio, como uma espécie de balão surpresa, soltando tiras e confetes coloridos de papel e, no meio do balão partido, vê-se a mensagem relacionada ao festejo dependurada. Dependendo da comemoração, o kusudama pode ganhar formatos variados, abrindo-se em forma de sino ou coração, para casamentos, ou quaisquer outras formas que lembrem os homenageados.